diario de viagemdicas de viagemHospedagemislandiaroadtripRoteirosviagens

Guia de viagem- Islândia: roteiro, dúvidas comuns, valores e muito mais!

18 maio, 2018 / por / 0 comentários

 

Em Novembro fui comemorar meu aniversário em um dos países mais incríveis do mundo: a Islândia! O desafio? Conhecer o máximo dele em apenas 3 dias! Sim, como eu só tinha este tempo livre na agenda e Reykjavik fica a menos de 6 horas de vôo de Nova York, encaramos! Deu pra ver tudo que planejamos? Sim e mais um pouco, mas só porque na volta nosso vôo foi cancelado devido a uma tempestade, então acabamos ganhando mais dois dias na cidade com tudo pago e conseguimos explorar mais de Reykjavik. Como muita gente também tem curiosidade sobre a Islândia, resolvi compartilhar aqui no blog um pouco da nossa experiência mas não deixe de conferir no meu canal no YouTube todos os vídeos dessa viagem incrível! Para mais dicas da Islândia e da minha vida aqui em Nova York, meu instagram é @marthasachser , nosso grupo de NY no Facebook é este AQUI! E não deixe de se inscrever no meu canal no YouTube  AQUI!  

 

QUANTO CUSTA A PASSAGEM?

Esse foi um dos fatores que nos levaram a viajar para a Islândia em Novembro: o preço da passagem! Pagamos cerca de U$500 ida e volta mas se tivéssemos voltado um dia depois ou antes, a passagem sairia por U$300. Como inicialmente não tínhamos flexibilidade nas datas, pagamos U$500, fomos na Quinta de  noite e voltaríamos no Domingo a tarde. Recomendo sempre conferir os valores em meses diferentes do ano, como os preços mudam de acordo com a estação, é legal ter uma média para saber quando as promoções pra Islândia  forem boas. A WOW Airlines e a Iceland Air foram as companhias aéreas que eu e meus amigos usamos e acredito que cada vez mais empresas estarão investindo em vôos pra lá também.

 

VISTO

Não é preciso visto para a Islândia se sua intenção for ficar até 90 dias a passeio ou negócios. O seu passaporte precisa ter uma validade de 6 meses quando você chegar. Caso seu vôo de conexão não seja um país da Europa, verifique se você precisa de visto de trânsito ou normal no destino da sua conexão.

 

DINHEIRO

A moeda lá é a coroa islandesa. Kr 1,000 era equivalente a cerca de U$10. Então não era tão difícil de fazer a conversão. Trocamos um pouco de dinheiro, cerca de U$200 quando chegamos no aeroporto e o restante da viagem fomos pagando no cartão, já que o nosso não cobrava taxa para compras e uso no exterior. Recomendo baixar um aplicativo de conversão como o Currency para utilizar durante a viagem caso fique confuso com os valores.

 

HOSPEDAGEM

O país é bem servido de hotéis mas costumam ficar bem mais caros e cheios em alta temporada, então pesquisar é preciso! Nos hospedamos em AirBnB (clique AQUI para criar sua conta e receber crédito na sua primeira hospedagem) e em hotéis em Reykjavik e Vik e a média era de U$150 a 200 por dia, mas tinham opções mais baratas. Pra quem quer economizar mais, existem vários albergues espalhados pelo país também. Outra opção bacana fora do burburinho de Reykjavik é escolher hotéis perto de hot Springs ou que tenham piscina aquecida. Curtir um banho olhando a paisagem da Islândia ao seu redor é incrível! Vocês podem conferir todos os hotéis nos vídeos AQUI! Recomendo utilizar também o Booking.com para procurar e reservar hotéis além de ler avaliações de quem já se hospedou em vários deles.

 

COMO PLANEJAMOS O ROTEIRO? QUANTOS DIAS FICAR?

A maioria das pessoas que vão explorar a Islândia por completo costumam ficar cerca 10 dias e conseguem  dar a volta no país todo (pela famosa Ring Road), cobrindo os pontos principais de carro e depois retornam para Reykjavik. Nós não tínhamos esse tempo. Acabamos indo por apenas 3 dias para fazer uma das rotas curtas e mais famosas da Islândia, o Golden Circle. E olha, valeu super a pena! Recomendo pelo menos 4 dias no país, arriscamos em 3 e sim, foi incrível mas deixamos algumas coisas de fora. Se você não tem 10 dias, existem algumas opções de roadtrips curtas pela Islândia,  dá pra ter um gostinho geral, visitando cachoeiras incríveis, crateras de vulcões, hot springs, geleiras, geysers… A Snæfellnes Peninsula por exemplo, pode ser feita em dois dias. O Golden Circle em quatro. O norte do país passando pelas montanhas, em seis. Não deixe de assistir aos vídeos da nossa viagem no meu canal no YouTube AQUI, mostrei tudo com detalhes e neste site AQUI você consegue o roteiro pronto para todas opções de dias acima. Recomendo muito!

 

COMO SE LOCOMOVER?

Existe uma infinidade de tours pagos na Islândia, logo no aeroporto você já tem a opção de comprar alguns e reservar seu transfer  de ônibus para Reykjavik (U$22 ou $26 dependendo de onde quer descer), que fica a cerca de 50 minutos do aeroporto (50 Km). Os tours são feitos geralmente de ônibus e vão parando nos pontos principais, alguns de mais dias incluem hospedagem ou são tours específicos mais curtos para ver a aurora bureau ou visitar uma caverna de gelo por exemplo, lugares que as vezes você não tem fácil acesso ou não quer arriscar ir sozinho, principalmente nos meses mais frios.

Como fomos em uma época ainda não muito fria, no começo de Novembro, nós optamos por economizar e alugar um carro. Minha dica é entrar no site da Rentalcars.com (AQUI) e já ir pesquisando os valores e alugar o carro que tenha cancelamento grátis, assim você fica mais tranquilo caso seus planos mudem e já garante preços melhores e modelos, ao invés de deixar para última hora.

 

ESTRADAS

As estradas são excelentes e como tínhamos pouco tempo, queríamos fazer tudo no nosso ritmo por isso alugamos um carro pela Rentalcars.com (AQUI). Valeu muito mais a pena e como não era inverno forte ainda, não tinha muito perigo de as estradas fecharem pelo gelo ou neve. Na cidade andamos pra todo lado a pé, a parte turística de Reykjavik é bem pequena e em 3 dias eu já sabia me encontrar sem problemas. Se não for sua intenção gastar muito, não recomendo pegar táxi por lá, não é barato e dá pra fazer praticamente tudo a pé na cidade!

 

EXPERIÊNCIAS

Explorar a beleza natural do país por si só já é incrível e o melhor, na sua maioria, de graça. Mas caso você queira experiências mais elaboradas, existem várias empresas que realizam tours guiados, que vão desde passeios de snowmobile até explorar cavernas de gelo e vôos de helicóptero. Uma atração muito procurada é a Blue Lagoon. Não é nada barato, cerca de U$70 o pacote mais simples, é SUPER turístico, mas acho que  essa é uma experiência que não pode faltar, principalmente se você não tem muito tempo no país para se aventurar em outros tipos lugares. E mesmo que eu fosse em outros, acho que ainda sim voltaria na Blue Lagoon, adorei! Outra coisa bacana é que fica localizada bem próxima ao aeroporto, se seu vôo for no final da tarde, vale a visita antes para relaxar ainda mais! Mostrei nossa experiência na Blue Lagoon neste vídeo AQUI!

 

CLIMA

Quando se pensa em Islândia  já logo vem na mente frio e muita neve. O que sim, é uma realidade deste país tão incrível, mas não é toooodo esse frio quanto a gente imagina também (acho que Greenland sim é muito mais preocupante!). Não me interprete errado, faz frio sim, neva, em algumas regiões é tenso, mas não é algo que pare o país para o turismo durante o inverno! Claro, é necessário um pouco mais de planejamento e podem haver mais limitações, mas é sim possível e pode ser até bem mais barato viajar nessa época. Além de ver um país bem diferente e com outros encantos que você não vê no verão por exemplo. Como eu não curto muito viajar no frio, preferi ir antes. O clima na Islândia é um pouco imprevisível também, então antes da viagem dê aquela conferida na previsão para mudar a ordem do roteiro se precisar. Se você optar por ir no auge do inverno, recomendo pesquisar alguns tours, para áreas em que não seja muito seguro dirigir por conta própria devido a gelo e neve nas estradas. Neste site AQUI você encontra algumas opções de passeios oferecidos por empresas por lá e muita informação!

 

QUANDO IR?

Isso vai depender do tipo de experiência que você quer ter e de quanto quer gastar! Nós fomos na primeira semana de Novembro, eu já queria ver a aurora bureau – sem precisar virar um esquimó. E deu super certo, fez frio, mas nada muuuito forte na maioria do tempo, já peguei temperaturas muito piores aqui em Nova York! Pra quem quer um clima mais gostoso, o verão é mais recomendado, entre Junho e Agosto, clima ameno e com quase 24 horas de luz do sol. Porém é tudo mais caro. Entre Setembro e Novembro o frio chega tímido, aperta um pouco mais no final, mas dá pra aproveitar muito ainda e os preços já são consideravelmente mais baixos. Já o inverno mais rigoroso mesmo acontece entre Dezembro e Fevereiro, com pouca luz durante o dia, chuva e neve, mas os preços de hospedagem principalmente caem bastante e ainda sim é possível de se visitar! Entre fevereiro e Junho é imprevisível também pelo que vi, com a primavera o clima começa a esquentar mas em algumas regiões é ainda necessário cuidado nas estradas por conta da neve.

 

VALORES E GASTOS COMUNS

Essa é a parte mais dolorida haha! Tudo na Islândia é mais caro, lá é afastado de outros países e não tem espaço e clima bom o ano todo para cultivar seus próprios alimentos em abundância. Se vocês acompanharam os meus vlogs (clique AQUI para ver os vídeos da mossa viagem e todas as dicas) viram bem como eram os preços de tudo, desde um simples iogurte até o táxi do aeroporto pra cidade! Uma noção pra quem gosta de comer fora: uma salada que custaria U$14 no máximo em Nova York, lá era quase U$30. Mesma coisa se você quiser um hambúrguer, vai deixar facilmente U$25 a 30 por lá. Claro, existem lugares mais caros e mais baratos, mas essa foi a média por onde fomos. Hotel em Novembro era na faixa de U$150 a diária, acredito que no verão seja mais caro. Outra ponto é que você não precisa pagar gorjeta na Islândia e cartão de crédito é aceito em praticamente todo lugar. Mesmo.

 

INTERNET

Recomendo muito adquirir um plano de dados. Você pode dirigir na Islândia por um bom tempo sem ver uma casa ou comércio, por isso é essencial ter acesso a internet, até para consultar a condição das estradas, principalmente no inverno, que podem fechar ou ficar mais escorregadias por conta da neve. Você pode alugar um pocket wi-fi no aeroporto mesmo ou comprar um SIM card (chip), tem uma loja de conveniência no saguão principal do aeroporto antes de você sair para pegar seu táxi ou shuttle. Como eu estava viajando com mais 3 pessoas, valeu mais a pena pegar o pocket wi-fi porque lhe permite compartilhar a internet com vários aparelhos diferentes. Quando fomos o aluguel do pocket wi-fi custou U$10 por dia.

 

IDIOMA

Praticamente todo mundo fala inglês fluente na Islândia. Tem muitos sinais escritos em islandês mas tudo que você precisa para se virar no país é sinalizado em inglês também.

 

 

 

DICAS ALEATÓRIAS E IMPORTANTES!

Segurança. A Islândia é um país que está cada vez mais bem estruturado para o turismo, mas todo cuidado é pouco quando se trata de natureza. São muitas as cachoeiras, geleiras, pedras, trilhas… Sempre bom ficar em alerta e ter um seguro de saúde de viagem (clique AQUI para pesquisar e adquirir o seu para emergências e use o código NYANDABOUT5 para receber 5% de desconto no seu pacote!)

Outra dica, muita gente vai pra Islândia com a intenção de ver a aurora bureau. Se for a sua intenção, recomendo levar uma câmera SLR, DSLR para captar o momento com clareza e aprender o básico de exposição. Também recomendo acessar sites que mostrem onde e quando é possível ver a aurora, existem alguns, mas fica a dica do Northern Lights Forecast. Na foto abaixo foi o mais perto que conseguimos chegar de ver a aurora e foi meio que um fiasco haha. Mas como vocês viram no vlog no canal, valeu a pena!

 

QUANTO GASTAMOS AO TODO!?

Novamente…não tenho certeza! Usamos dinheiro que trocamos no aeroporto e usamos alguns cartões de crédito que não cobram taxas e nessa confusão toda acabo perdendo controle de quanto gastamos no total. Como eu e o Ryu dividimos alguns custos com um casal de amigos, é mais difícil passar o valor total de tudo por pessoa. Mas para vocês terem uma idéia mais concreta de alguns valores básicos, aqui vai: De passagem foi U$500 pra cada um, ida e volta por Nova York. De hospedagem a média era de U$150 por dia por quarto de hotel e reservamos um apartamento de dois quartos no AirBnb por U$220 no centro da cidade e dividimos este valor por dois, U$110 para cada casal. O aluguel do carro ficou em U$170 para 3 dias, mas dividimos o valor do carro para 4 pessoas. Ah! O carro manual era mais barato para alugar do que o nosso que era automático. Com gasolina, gastamos cerca de U$100 pelos três dias fazendo o Golden Circle e dirigindo do aeroporto pra Reykjavik e vice-versa. Nos dois dias extras que ficamos na Islândia por conta da Iceland Air, comemos as 3 refeições fora, compramos itens de higiene pessoal, lanches (besteiras) e ficamos em hotéis confortáveis, mas sem muito luxo e gastamos perca de U$650. Fora o táxi (U$200) e ônibus (U$22) de volta para o aeroporto, ambos reembolsados pela Iceland Air. Ficou uma média de U$1500 para mim e para o Riyu  incluindo hospedagem, passagem aérea e aluguel do carro para os 3 dias planejados da viagem (os dias em que estávamos em 4 pessoas). Lógico que isso vai variar e muito de acordo com o número de pessoas que viajar com você. Os outros dois dias (U$650+200+22) foram por conta da companhia aérea. Se fossemos considerar tudo, os 3 primeiros dias, mais os dias por conta da Iceland Air, daria uma média de  U$1200 pra cada um pelos 5 dias.

 

DICAS PARA ECONOMIZAR!

Dá pra viajar sem gastar muito? Até dá, acho que quando o assunto é economizar a gente sempre dá um jeito! A natureza do país é exuberante e gratuita,  mesmo que você não faça nenhum tour guiado, já vai valer muito a pena. Tem muitos albergues na Islândia então você consegue economizar MUITO mais com hospedagem. Se você for se hospedar em AirBnB ou albergues com cozinha, faça compra no supermercado local antes, assim vai economizar  com restaurantes, dificilmente uma refeição boa mas simples vai lhe custar menos do que U$20. Outra dica pra quem gosta de beber e quer comprar bebidas alcoólicas é fazer isso no aeroporto ainda, antes de sair, no duty free. Álcool na Islândia assim como comida é bem caro e o preço no aeroporto é muito mais em conta. Economize na água! Sim, leve uma garrafa e encha toda vez que puder, a água da Islândia é pura e muito limpa, só não cheira as vezes muito bem haha! Pra quem quer economizar ainda mais com acomodação, além de albergues e couchsurfing, durante o verão principalmente é bem tranquilo acampar pelo país. Eles tem áreas designadas pra isso ou contanto que não tenha nenhum sinal proibindo ou seja propriedade privada, me disseram que não tem problema abrir sua barraca! Outra dica em Reykjavik é fazer um free walking tour, tour guiados a pé onde você só paga uma gorjeta no final para o seu guia. Mostrei mais deste passeio AQUI! Se você sabe dirigir carro manual, eles custam menos para alugar do que os automáticos. Se não for alugar carro, opte por pegar o ônibus do aeroporto para cidade, custa cerca de U$22 ou $26 por pessoa. Evite táxi se estiver com menos de três pessoas, facilmente uma corrida do aeroporto vai custar menos do que U$120 ( nossa foi quase U$200 haha). Uma outra dica é levar realmente TUDO que você precisa na mala para evitar gastar por lá sem necessidade. Existem muitas coisas que valem mais a pena fazer na Islândia, como algum passeio bacana ou um hotel em uma localização incrível e esses gastos desnecessários podem acabar te limitando caso esteja viajando com pouca grana!

 

Gostaram? Me conte nos comentários!

 

Para mais dicas da Islândia e da minha vida aqui em Nova York, meu instagram é @marthasachser , nosso grupo de NY no Facebook é este AQUI! E não deixe de se inscrever no meu canal no YouTube  AQUI!  

 

 

 

 

Veja também esses relacionados

Comente com o Facebook

Deixe seu comentário